Sonhos e Jardins: Cap. 2,Chegada

Até que enfim eu terminei de escrever o 2° capitulo de Sonhos e Jardins: Chegada, e já to indo para o 3° capitulo!!Espero que vocês gostem do 2° capitulo. Aqui esta ele:

2.Chegada

Acordei com algo em meu rosto, era Lili que me lambia.
-Lili...!Que nojo! Isso é nojento!Eca! Ugh!
Fiquei resmungando, enquanto limpava meu rosto com um lencinho de papel.Sai do carro e lá estava a garagem de minha nova casa! A casa de Botucatu! Era uma garagem para três carros,não estava preenchida. Ali estava o carro de minha mãe, um Astra prata e o do meu pai um corsa sedã preto.
Era de um verde musgo com uma parede verde claro,a garagem,havia uma porta de madeira maciça, com belas flores esculpidas a mão, tudo ali era como minha mãe havia dito, uma garagem linda! Mas o que me chamou atenção foi o portão, ele era como aqueles de casas americanas, parecia feito de aço grosso, era preto e enorme, ele deixava toda a garagem escura,muito monótona. Não me deixava alegre aquele portão, deixou todo aquele lugar da casa, triste, muito monótono.
Lili saiu pulando atrás de mim, e foi direto á porta de madeira e cheirou a porta, eu a segui e subi os dois degraus até a porta, peguei a maçaneta e girei delicadamente. A porta se abriu para um cômodo claro e azul,nele havia um sofá branco de couro,com uma mesinha de vidro na sua frente, a mesinha estava sob um tapete enorme branco e azul cheio de riscos em linhas retas. Em cima da mesinha reconheci o vaso azul bebê de minha mãe, o vaso de orquídeas azuis escuras.
Em uma das paredes, havia um quadro moldado em ouro, ele tinha uma paisagem maravilhosa pintada,era a pintura da praia de Copacabana, meu avô havia comprado e dado a minha mãe, quando ele foi ao Rio de Janeiro a quase uns 15 anos antes de eu nascer, vovô estava cobrando a muito tempo este quadro pendurado em algum lugar da casa, e acho que só agora minha mãe foi realizar o pedido dele. Havia uma estante de madeira pintada de branco do lado da porta, que tinha várias fotos da família, uma TV de LCD de 32 polegadas, tinha umas gavetas embaixo, em um aparelho de DVD. Abri as gavetas para ver o que continha e eram nossos DVDs, percebi que minha mãe havia guardado por dono, meus DVDs na gaveta do lado esquerdo, os preferidos de meu pai no meio e os preferidos de minha mãe do lado direito, nas gavetas de baixo havia outros DVDs sem categoria de dono. Na parede oposta ao quadro havia uma janela enorme, que sua largura era quase a parede inteira. Tinha duas portas naquela sala, uma de madeira trabalhada com vidro enfeitados a mão e uma sem nenhum enfeite, apenas com vidros quadradinhos no meio, mas a porta era inteira lisa e envernizada, isso a deixava bonita, na verdade tinha 3 portas, a da garagem que não se destacava.
Ouvi murmúrios da porta enfeitada, um dos murmúrios era da minha mãe e a outra voz não reconheci, só sei que era de uma mulher.Minha mãe dizia:
-...olhe está bem bagunçado aqui, porque acabamos de chegar,estamos felizes de poder estar aqui, nesta cidade tão calma, perto da família e de amigos de infância, com certeza, vamos ser ótimas amigas!
A outra voz concordava:
-Claro,claro, está cidade é muito boa para se morar! Ela tem um ar puro, ok, quase puro. A vizinhança deste bairro é ótima, amanhã te apresento a todos.Podemos juntar nossas famílias de sábado! E podemos ir a feiras de sábado de manhã, eles vendem verduras fresquinhas de sábado!
- Verduras fresquinhas são as melhores nas refeições!
Abri a porta de fininho e Lili passou correndo pelo vão aberto, até minha mãe. A minha mãe vendo que era eu, veio com os braços abertos a mim e dizendo:
- A querida, você acordou! Filha esta é a Carolina, nossa vizinha! Carol esta é a Luiza, minha filha!
- Muito prazer!-Carol me disse.
-Prazer!- eu lhe respondi.
-Luh, você quer conhecer o seu quarto?- minha mãe disse abrindo um enorme sorriso.
-Claro,mãe! Onde que é?
-Lili te leva, ela já sabe o caminho!- disse ela soltando Lili, que estava em seu colo.
Lili saiu pirilampa na minha frente da obvia sala de entrada/visita,e começou a subir uma enorme escada de degraus salientes de madeira branca maciça, fui contando os degraus: 20, uma escada de 20 degraus!Senhora Mariana não me contou essa! O corrimão da escada de 20 degraus era de metal roliço, muito bonito, no final da escada tinha uma parede na linha do corrimão, um hall no final da escada com uma foto da família, a escada virava no hall com um corredor, havia uma porta no final do corredor, mas havia um outro corredor ainda maior que passava entre a porta e o menor corredor. Olhei para o lado direito do corredor maior, no final do lado direito havia um vidro grosso esfumaçado,e antes desse vidro havia duas portas, uma em cada parede, olhei para o lado esquerdo e não havia nada em seu final, só uma parede lisa, salmão, com pequenos quadros de flores, do lado desse pequeno final do corredor, tinha duas portas brancas trabalhadas a mão, uma de cada lado da parede, as portas do corredor do lado direito também eram brancas na parede salmão, os corredores lá em cima eram todos salmões e as portas brancas, com flores trabalhadas.
Fui para o lado do corredor, direito, Lili latiu e correu para o lado esquerdo com o rabo peludo abanando, segui ela. Lili se virou para mim, e latiu, entendi que era para eu adivinhar qual era. Achei que fosse o do lado direito e apontei para a porta, Lili latiu e foi para a porta esquerda. Eu mexi na maçaneta e a virei, tirei a mão da maçaneta e respirei fundo, Lili latiu impaciente e eu disse a ela:
-Ora, Lili, precisa ter uma cerimônia! É o meu quarto novo!Será que é bonito?!
Respirei fundo e abri a porta, era lindo! Na parede contraria da porta havia uma parede lilás com borboletas brancas, uma cama cor de tabaco, se posicionava no meio dessa parede lilás, do lado esquerdo da cama havia uma mesinha branca com uma gaveta e um abajur lilás e tabaco. A cama estava com um edredom branco com flores lilás na ponta, almofadas roxas estavam na cabeceira da cama. Do lado direito da cama, tinha um pufe roxo claro enorme, cabia duas pessoas nele! No chão a frente do pufe tinha um tapete branco de pelo sintético , na parede do lado do pufe tinha uma porta de fechadura no meio com uma cortina até o chão de renda branca, abri o vidro e percebi que aquela porta era uma janela para a sacada, meu quarto tinha uma sacada! Olhei sacada a fora e um frio surgiu na minha barriga, era muito alta aquela sacada, vi a rua calma e as belas casas vizinhas, outro frio surgiu, mas agora parecia que borboletas de gelo percorriam meu estomago.Me obriguei a voltar para dentro e olhei de volta o meu quarto, havia um raque branco na frente da cama ,no meio do raque tinha um TV de LCD de umas 29’, tinha duas estantes do lado da TV e nelas tinha várias fotos minhas, entre elas a maior foto era a meu aniversario de debutante,era uma enorme foto, apenas do meu rosto, minha mãe amava aquela foto, por isso ela deve ter colocado lá. Do lado da mesinha que estava do lado esquerdo da minha cama tinha uma escrivaninha branca e roxa escura, lá estava meu computador, minha impressora, meu microfone e minha webcam, todos arrumados em sincronia, do lado do monitor tinha uma foto minha no natal do ano passado, eu estava com meu vestido vermelho com um broche todo trabalhado branco em flor e com minha sandália prata de salto “8”. Meu cabelo estava com uma escova perfeita que caia em cachos enormes na ponta, minha prima Beatriz tinha feito uma bela maquiagem em mim. O porta-retrato era cor-de-rosa retangular com um imã de flor. Na parede em cima da escrivaninha , tinha um painel de anotações e lembranças, aqueles de aço que você prende fotos, bilhetes,lembretes com imãs, eu que tinha o escolhido, ele era branco e estava cheio de fotos, a maioria minha com minhas amigas de Bauru, uma delas, eu me lembrei que elas me deram em meu penúltimo dia em Bauru, tinha uma dedicatória atrás, ali dizia:
“Amiga, nunca se esqueça de nós, toda vez que você precisar da gente, sempre estaremos aqui, Luh,Beijos, Nós te amamos: Mi, Pri,Cah e Gi.”
Uma lágrima,super “gente boa”desceu, a enxuguei e me lembrei: Não é um momento para chorar, agora é um momento feliz, estou na cidade nova, em uma casa nova, com minha família, meus pais estão muito felizes de poder virmos morar aqui,não quero deixar eles tristes.
Na parede do lado da escrivaninha tinha uma abertura,uma porta de cor de tabaco,aquelas portas de sanfona,a abri e olhei.
Aquilo era uma surpresa ,no meu quarto tinha um closet! O chão era que nem o chão do quarto, madeira tabaco, duas portas de correr estavam quase em toda a parede, pois no final da parede tinha uma porta branca. Abri as duas portas “enormes” e lá estavam minhas roupas nas prateleiras do lado direito,meus sapatos na parte de baixo, meus agasalhos estavam enfileirados em uma grande cabidera. No closet tinha um banco roxo,que cabia umas três pessoas juntas. Abri a porta branca e lá estava o banheiro,um banheiro branco,com pedrinhas roxas em linha reta em volta dele todo. A pia era de mármore branco,com a bacia da pia saliente como um vaso sobre a mesa, a torneira era de metal e saia do espelho retangular que tinha desenhado flores a mão,do lado esquerdo do espelho,tinha uma estante de vidro e mármore branco com vários enfeites,tinha três espaços, no 1°: uma menininha segurando uma rosa; 2°: uma flor e o 3°:Uma borboleta.O vaso sanitário também era de mármore e tinha o Box de blindex.
Tinha um armário branco embaixo da pia, o abri e todos os meus produtos estavam lá :minhas maquiagens em uma caixa cor de rosa; meus perfumes em um lado do armário; meus outros produtos: shampoos ;condicionadores;cremes e etc.
Sai do banheiro,do closet e fui para meu quarto, liguei o computador e enquanto esperava ele ligar,fui para a sacada, olhei a cidade, muito bonita,suspirei e disse:
- Lindo! Muito mais bonita que Bauru,você não acha Lili?
Lili estava dormindo no tapete peludo,estava esparramada no tapete,mas na hora que eu falei com ela,veio correndo até mim,que a peguei no colo e a abracei.
O computador ligou, fui até lá e comecei a me sentar na cadeira roxa escura, quando minha mãe chegou e disse:
- Luh, você vai ficar aí?Não vai conhecer o resto da casa?Não vai jantar?
- Claro,mãe,estou com muita fome, o que vamos comer?
-Carol me ensinou a fazer uma coisa diferente,estou terminando de fazer.
-Onde está o pai?
- Ele está no escritório.
- Só uma coisa mãe...onde que é o escritório?
- No final do corredor, a porta da esquerda,e querida não se surpreenda ,seu pai quis o escritório do mesmo estilo que o outro...
-...mesa de madeira,cadeira preta,computador preto,parede de cor creme,estante de madeira maciça e cortina de escritório- dissemos juntas.
- Não há porque ir rever lá, eu já sei o modo como está,não vai fazer diferença- eu disse.
- Luh,você sabe que seu pai gosta que vai ver,ele não te viu acordada desde quando estávamos em Bauru.
-Nossa, não sabia que fazia tantas horas,mãe!
- Pois é ...filha, seu pai ainda não te viu,ele queria ver se você gostou daqui, se a casa ficou bonita... sabe, se você acha que deve mudar algo...
- Mãe, eu adorei aqui,amei o meu quarto e a Lili amou o tapete- disse-lhe rindo- Mas vou ir ver as coisas com o pai,mas acho que nada precisa mudar!
- Que bom,querida! Você precisa ver o quintal! É maravilhoso!E o meu quarto também!!
- Mais tarde podemos ir ver?!
- Claro, vai lá, falar com seu pai!
Sai do meu quarto e fui para o escritório: final do corredor à esquerda. Abri a porta devagar e disse:
- Pai? O senhor esta aí?-Não ouve resposta ao que eu disse,então falei com a voz mais alta- Tem alguém aí?
- Filha! Você está aqui!- meu pai disse, se virando na cadeira.
- Sim,pai,eu estou aqui!-respondi ele sarcasticamente.
- Oh,querida! Esse escritório tem uma suíte!O computador é de 4 Gb! E esta cadeira é de couro!
- Ah,pai,pelo menos algo de diferente! ...- respondi ele mais uma vez sarcasticamente.
Ele me deu um meio sorriso,então logo disse:
- Luh,você quer um celular novo? Escolha o que você quiser...- olha é muito legal da parte dele,me oferecer um novo celular,mas eu ganhei um novo o ano passado!
- Ah,pai,é muita gentileza sua,mas eu ganhei o meu no ano passado!- o respondi.
- Quem liga,Luh?Compre um mais moderno...mais chique ou refinado...
- Pai, o meu celular é muito bonito e eu gosto do estilo dele, obrigada!- o respondi com a voz mais brava.
-Ok,já que é assim...,quer alguma coisa nova?- ele ainda estava tentando puxar assunto ou coisa para comprar para mim,para não deixa-lo aborrecido, eu disse:
-Bem,pai...gostaria de comprar uma coleira nova para a Lili e uma caminha também...
- Só isso?!-ele disse indignado.
- Sim,se precisar de algo a mais, eu aviso, obrigado!
- Ok,tudo bem, de nada- ele resmungou.
-Pai...só uma coisa!
- O que filha?
- Qual é a escola que eu vou estudar?
- Surpresa, eu e sua mãe não vamos lhe contar- ele disse sorrindo.
- Ah,pai,parem com isso! Isso é brincadeira de mal gosto!
- Tudo bem,estava brincando...vamos de contar...
-Pai,aonde?- perguntei estressada.
- No La salle.
-O que? No Laçã lí?
-Não, querida, no La salle, L-A –S-A-L-L-E!
- Ah...La Salle,interessante.
- Filha...-ele disse com meio sorriso.
- O que?- respondi sem entender nada.
- Estou brincando,você caiu certinho!!- e começou a gargalhar...ele já estava me irritando demais.
- Pai!Chega!!Não quero mais saber para que escola que eu vou!Amanhã eu vejo!!- sai do escritório e fui para o meu quarto,Lili foi atrás de mim,peguei ela no colo, e ficamos em meu quarto conversando no MSN.
As primeiras pessoas a virem falar comigo foram a :Mi;Pri;Cah e Gi. As quatro começaram a falar (escrever):
Mi:Oie
Pri:Oi,friends!
Cah: Oi,como vcs estão?
Gi:Oi,eu estou bem,claro como sempre! J
Eu:Oi,gente...meus pais não me querem contar qual o nome da minha nova escola...Aff
Cah:Serio?? Que sofrimento!!
Mi: E aí Luh?
Eu: Vou saber qual é a escola?!
Pri: Pq vc não procura a matricula na bolsa da sua mãe?
Eu: Boa idéia,mas sabe amanhã cedo vou estar lá,então não preciso saber o nome,pq daqui algumas horas saberei...
Mi:Vdd
Gi: Nem precisa mesmo
Mi: Então,já conheceu alguém?
Eu: Só a minha vizinha,Carolina...
Pri: Aff...isso é terrível!
Cah: Já foi em algum lugar?
Eu: Ainda não! Talvez amanhã de noite a gente saia...
Alguém interrompeu minha conversa com um chamado histérico, minha mãe disse:
- Luíza!Filha,venha jantar!
-Ok,já vou!- infelizmente tive que sair do MSN e escrevi a minhas amigas:
Eu: Bem,amigas,tenho q ir... vou jantar.
Cah: Ai q coisa,vc ta aki apenas por uns 10 min.
Eu: eu sei,mas tenho que ir,não voltarei,tchau.
Cah: Ok,L, tchau,L
Mi: tchau L
Pri:tchau,Bjss L
Gi: tchau L, bjs,beijos :´(
Eu: Xau
Sai e fui jantar,queria tanto ficar ali,conversando com quem eu conhecia,não me interessava tanto conhecer pessoas novas,para que?

Desci a escada devagar,minha mãe e meu pai estavam na sala de visitas,sentados,conversando,no mesmo momento que eu desci o ultimo degrau,meus pais se levantaram. Minha mãe disse:
- Luiza! Nós estamos te esperando a um século! E você não desce!
- Nossa, vocês não envelheceram nada,não é?- disse tirando sarro do termo que minha mãe usou.
- Dona Luiza,sem piadinhas! Tudo que eu digo vira piada...-ela foi resmungando para a provável porta da cozinha,que ficava do lado da escada, ao pé dela.Naquele cômodo só restou eu e meu pai.
- Então,bom, sua mãe não gosta das sátiras com ela...- meu pai,começou a dizer com uma voz desanimada-,mas eu como um bom pai,deveria te mandar parar...-aí ele deu um sorriso e terminou a frase-,por mim, você pode continuar!É tão engraçado! Isso é super divertido!
-Isso é engraçado vindo da sua boca,mas se é assim,posso tentar continuar!-dei uma piscada para ele.
- Agora,querida,vamos ir jantar,porque ela está nos esperando “ a um século”- ele deu uma enorme gargalhada.
Ele foi na minha frente, abriu a porta e entramos em uma grande sala,com uma mesa enorme de madeira no meio com 10 cadeiras forradas com um pano cor de creme,a mesa estava com uma toalha branca,três pratos brancos,com uma jarra de vidro com um liquido laranja,supostamente era suco de laranja,uns quatro ou cinco descanso de panela verde e um pote com uma enorme salada de alface.
Meu pai se sentou na cabeceira da mesa eu me sentei do lado esquerdo da cabeceira. Minha mãe ainda não estava lá, só foi eu me lembrar dela,que ela apareceu,estava carregando uma travessa preta coberta por um guardanapo branco.
- Vocês dois! Não mexam em nada!- ela disse.
Entrou de novo e atravessou a porta com outra travessa,esta menor ,azul clara,também coberta por um guardanapo branco.
- O que é ,querida?- disse meu pai a ela.
- Depois eu falo, é surpresa- respondeu ela – Vamos orar.
Cada um fez sua oração,e quando eu terminei de orar, os dois estavam me encarando,me senti estranha...
- E agora,querida,vai me dizer.-insistiu meu pai.
- Sim agora eu digo- sorriu e disse- É sushi.
Na mesma hora que ela disse,eu fiz uma cara de nojo e disse:
- Mão,a senhora,por acaso está tentando nos passar o jeito de comer vegetariano?-minha mãe é vegetariana,mas de 15 em 15 dias ela comia carne para satisfazer seu corpo. Eu odiava sushi,eca!Eu era normal,comia normal.
- Não se preocupe ,dona Luiza,já que você odeia sushi,fiz para você lagarto a molho madeira.- ela me respondeu.
Que bom pelo menos alguém se lembra do meu “ não gosto” por sushi!
- Ah,mãe! Obrigada por se lembrar...-respondi educadamente.

Comi meu lagarto ao molho madeira,bem devagar,e por coincidência, estava uma delicia, estou brincando...Toda vez que minha mãe fazia lagarto a molho madeira ficava uma delicia,maravilhoso!
Após acabar de comer, minha e eu tiramos a mesa,minha mãe pediu para não tirar a toalha da mesa,porque ela tinha feito algo...
Me sentei e fiquei esperando minha mãe,quando ela chegou,vinha trazendo uma travessa de pudim de leite condensado. Ficamos ali,deliciando em silêncio o pudim da minha mãe,até que minha cortou o silêncio:
- Luh,você não quer saber como é o horário de sua escola?
- Como assim,mãe?
-Se é período matutino ou período integral?
- Se você quiser me contar...
- Sua escola nova é de período Integral,querida!
-E o nome?...
-Surpresa!!Não vamos lhe dizer!-disse-me ela com um sorriso enorme.
-Ok,mãe,vocês não vão me contar...né?
-Pois é...querida...
-Pai,mãe...chega de surpresa,vocês sabem que eu odeio surpresas- disse com uma voz suplicante.-Por favor me conta...
-Olha,filha -começou meu pai-,a idéia não foi minha...sua mãe que quis surpresa e disse para eu entrar no “clima”- ele disse fazendo sinal de aspas no ar.
-Tudo bem,então...Fazer o que vocês não me contar mesmo.
-Vocês,parem com isso- depois da minha mãe falar isso, ela olhou para mim-,vou colocar a louça na maquina e vou te levar para conhecer o quintal.Esqueça esse assunto de escola,ok?
-Pronto,já deletei – falei isso e fingi clicar um botão na minha mão.

Depois de minha mãe cuidar da louça,me chamou para ir ver o quintal-como sempre ela fez suspense- cantou um “TAM,TAM,TAM” desafinado e em uma lufada de ar,abriu a porta.A cor que predominava era o verde,uma grama rasteira cobria todo o quintal ,um portão grande preto ficava do lado direito.No outro lado,o esquerdo ficava um quiosquinho no fundo do quintal,antes do quiosquinho tinha uma piscina não era uma gigante e não era uma nanica também...No lado direito,no fundo tinha uma casinha/quartinho provavelmente era a casa de coisas da piscina.Da porta da sala de estar (onde era a entrada para o quintal)descia uma enorme escada,onde eu desci.Debaixo desse escada e da casa,até o meio da casa,tinha uma edícula e uma lavanderia.Não suportando minha visualização silenciosa do quintal,minha mãe interrompeu:
- E aí,o que você achou?
-Olha,mãe...Ta lindo! Só precisa de um jardim...
- Boa idéia,amanhã mesmo vou comprar as sementes,e você vai me ajudar,combinado?
- Combinado...não se esqueça de pegar sementes de violetas e rosas roxas...
- Tudo bem,essa é minha prioridade!-e deu um big sorriso.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fanfics fofissimas do Percy e da Annabeth!